• bonito_azul.jpg
  • bsb_azul.jpg
  • goiania_azul.jpg
  • pantanal_azul.jpg

Acessibilidade em bibliotecas públicas

Foto: Jan Ribeiro/Pref.Olinda (original)

Encerrou-se em 16 de janeiro com elevado número de participações a Pesquisa Nacional de Acessibilidade em Bibliotecas Públicas – disponibilizada online e que aborda diferentes aspectos de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência nestes ambientes. O levantamento faz parte do projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, iniciativa do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNPB), ligado à Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), do Ministério da Cultura (MinC), e que é executado pela Mais Diferenças.

Ao longo de quatro meses, a pesquisa recebeu contribuições de bibliotecas de 22 estados e totalizou 313 formulários preenchidos. São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Santa Catarina foram os estados que mais participaram do levantamento.

As bibliotecas municipais foram as instituições que mais responderam o formulário, com 95% dos preenchimentos. As bibliotecas estaduais atingiram 2% do total, ao passo que as comunitárias, privadas e ligadas a fundações totalizaram 1% cada tipo.

O diagnóstico que será construído a partir desta pesquisa auxiliará o SNBP e a MD a executar os próximos passos do projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas e na elaboração do relatório final, o qual trará subsídios para as políticas públicas de livro, leitura e bibliotecas do país.

Fonte – Mais Diferenças

Proposta reconhece profissão de técnico em biblioteconomia

Atualmente, apenas aqueles que possuem curso superior na área têm sua atividade regulamentada.

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 6038/13, de autoria do deputado José Stédile, do PSB gaúcho, que reconhece a atividade de técnico em biblioteconomia como profissão.

Atualmente, apenas aqueles que possuem curso superior na área têm sua atividade regulamentada (Lei 9674/98). A proposta estende essa regulamentação àqueles que possuem diploma em nível médio, expedido por cursos técnicos reconhecidos.

De acordo com o projeto, o técnico em biblioteconomia é o profissional legalmente habilitado para executar, em bibliotecas ou em outros serviços de documentação e informação, atividades relativas ao processamento, à conservação e à divulgação de documentos. Cabe a ele organizar a informação nos acervos, prestar serviços de atendimento aos usuários e participar do desenvolvimento de atividades que ampliem os aspectos socioculturais dessas instituições.

Para Stédile, a iniciativa pretende somar-se aos esforços do Governo Federal de viabilizar a implementação de uma biblioteca em cada cidade brasileira até o ano de 2020 (Lei 12.244/10). No entanto, a legislação vigente (Lei 4084/62) exige que o responsável por essas instituições tenha formação universitária em biblioteconomia.

Segundo o deputado, "a meta do governo não será viável se não houver uma mobilização de incentivo de cursos técnicos em biblioteconomia."

"Se for aprovado o meu projeto, todos os municípios brasileiros poderão fazer concurso para técnico em biblioteconomia e, ao mesmo tempo, para cada cinco escolas públicas, teremos um bibliotecário de curso superior - que é muito importante para acompanhar o trabalho dos técnicos em biblioteconomia".

A proposta que regulamenta a atividade de técnico em biblioteconomia tramita em caráter conclusivo e segue para análise das comissões de Trabalho, de Administração e de Serviço Público; e de Constituição e Justiça.

Fonte – Câmara dos Deputados

 

Sub-categorias

FacebookTwitterYoutube

Vídeo 1

<script>
(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){
(i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o),
m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m)
})(window,document,'script','//www.google-analytics.com/analytics.js','ga');

ga('create', 'UA-58929448-1', 'auto');
ga('send', 'pageview');

</script>